quarta-feira, 20 de março de 2013

Fria Hora | Poesia Alison Santini


Esta é a fria hora, que todos conhecemos, ou aqueles que já amaram alguma vez... Irônico eu sei, mas há aqueles que a sua arte é apenas representar um papel, a arte de enganar, de iludir, de iludir-se, enlouquecer e por fim esquecer. (01/04/2011 à 10/03/2013) 



                                                                              ***


Fria Hora

Fere a alma, a lágrima 
Que fria escorre
No rosto, que delicadamente
O carinho, frio, se fez presente
Fria, a mente recorda 
O que friamente, tu esqueceste
A lembrança bordada 
O que finalmente, esperança, desalinhou. 
Tua mente é fria, 
Como teus olhos
Cascatas de olhos verdes
Os lábios que no meu peito tremia...
Fino momento, que por um fio
Um beijo aconteceu, por desafio
E sem talento,
Por banalidade, de amor brincamos,
Amizade cruel morreu no relento.
Fera saudade
A hora fria,
Que no meu peito nascia a dor
O amor, que nos teus olhos morria...

***

Alison Santini

Nenhum comentário:

Postar um comentário