domingo, 4 de julho de 2010

Poesia de Alan de Carvalho-Veraz e Eterno

A magnitude de todo céu acabou em mim
E o que falta da lua eu tranquei no meu coração
Para que ao menos um pedaço dela possa sentir
Esta felicidade que irradia do meu corpo

Compus nos versos meus a mais divina paixão
Que é combustível do nosso profano amor
Por que a contradição nos faz o maior sentido
A dor é sinônimo de prazer e nossa lágrima é feliz

Por que nos entregamos voluntariamente
A intensidade deste sentimento involuntário
Quando sua falta aperta meu espírito carente
Eu procuro os resquícios da sua pessoa
Nas memórias, fotografias e marcas em meu corpo
Encontro as provas de que todo este sonho aconteceu

É incrível saber que jamais irei acordar
Por que sei que em momento algum estava dormindo
E das poesias passadas, eu apenas sinto pena
Por que para elas, faltou a maior inspiração
Choram por que nelas, não há um décimo do amor
Que move meus dedos a escrever esta declaração

E por meio desta, declaro o meu mais intenso amor
A realidade, paixão, amor e devoção em palavras
Que a minha boca não cansa nunca de repetir
Para que todos saibam, e reconheçam que é verdadeiro

Dos céus até o mar, e diante de toda a terra
Desde aquela primavera, em cada estação
Até o fim dos tempos... Eu Prometo te amar,
Mais do que a tudo, mais do que a todos

Deixo para ti meus votos
Cumpro por ti meus votos
E isto, é Veraz e é Eterno
E pertence só a você.
 
Alan de carvalho:
[Foto-0177+cccopy.png] 
http://alumiina.blogspot.com/
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário