terça-feira, 16 de março de 2010

De Alison Santini - Anjos das Noites Sombrias

A poesia a seguir faz parte do meu livro "Não importa a dor..." foi a segunda poesia a ser publicada no jornal "O Grito" no mês de maio de 2007, gosto tanto que a inclui no livro...

Anjos das Noites Sombrias

A lua olha lá de cima
Um anjo da noite se aproxima
A próxima vitima...
Alguém que anda na solidão...
Presa fácil!
Nas praças se encontram
No pátio dos trilhos esperam...
Talvez o trem que não chega.
O trem da meia noite,
Já passou pela manhã...
Estava este atrasado.
Anjos das noites sombrias
O que esperas da vida?
A verdade ou a mentira?
Anjos calados
Noites sombrias.
Na calada da noite
Um beijo, um açoite.
Cabelos acinzentados,
Na mente, Rock n’ roll.
Um maço, dois maços, em vão,
Faz da mentira um irmão.
De que o tempo passa,
E que nascer...
É uma trapaça corroída...
O dia não mais existe
A noite não mais chega.
Quando se pensa,
Em escolher entre
Viver ou morrer...
Alison Santini

Nenhum comentário:

Postar um comentário