terça-feira, 13 de julho de 2010

Venda: Não Importa a Dor... Os Anjos Também Choram Quando se Fala de Amor

Compre Aqui>>>Clube de Autores Alison Santini

domingo, 11 de julho de 2010

De Alison Santini- Belo Feio Feio Belo

Belo feio
Feio belo

Há a beleza divina
Dos olhos meigos
Nas águas cristalinas.
Há o belo no feio
O feio no belo,
O feio que um dia foi belo
No belo que um dia foi feio.
Tudo se equilibra
Tudo é meio termo.
Há a juventude no velho
O velho na juventude
A tolice no sábio
O sábio na tolice
Yin-yang na vida
Yang-yin na morte.
Há a beleza na dor
Há a feiúra no sorriso
A verdade na mentira
A mentira na verdade.
Não existe certo ou errado.
Erramos achando ser certos
Acertamos achando ser errado
Dialético ou não
Nenhuma paixão ou amor
É em vão.
A feiúra se esconde
No coração que é podre
A beleza se esconde
No coração que dá frutos.
O corpo envelhece
A alma e o coração não,
Quando o ser é puro amor.

domingo, 4 de julho de 2010

Prosa Poética de Alison Santini-O Osso do Perdão

Jacareí, 20 de abril de 2009


O Osso do Perdão

Estou longe do perdão. Estou longe de uma segunda chance. Estou longe de mim. De nós dois como começamos. De nós dois quando acabou. A arte do riso nos pegou. E eu pequei.
Pequei quando olhei nos seus olhos e me perdi. Quando sorrateiro e indiscreto caminhava meu olhar no seu corpo desejoso. Quanta ternura rígida e fresca no seu corpo magro. Era Quando subia os olhos desde os pés até o púbis, onde parava e me deixava ficar.
Foi inocentemente que viramos amigos. E amigos nós partilhamos segredos cândidos e extrovertidos. Foi quando brigamos a toa, como o vaga-lume voa. Foi quando partilhamos olhares em silêncio sem nenhum significado para você. Assim como o dia nasce, em silêncio, sem anunciar, como se os pássaros não cantassem, não anunciassem o amanhecer. Sem perceber, foi assim que nos apaixonamos.
Assim pensando em você e em como seria se eu tocasse seus lábios como o beija-flor. Em como seria se nós ficássemos num jardim esquecidos e sozinhos, o jardim, você e eu. Em como seria se eu te contasse o meu segredo, e se eu perdesse a sua amizade? Mas eu só pensava em você. Assim eu errei.
Não poderia ser diferente, pois nem mesmo somos diferentes. Já devia ter entendido que não eu não deveria ter dito tudo, tudo o que você não entenderia. E agora como se fosse o ultimo jantar real posto a sua mesa, eu o traidor, envenenaria o intocável. Pude perceber em seus olhos, a dor do enigma da esfinge decifrada. Como se eu tivesse atingido bem fundo, bem no osso. Se você não tivesse alma. Seria o osso a vitima?
Não era tão suntuoso ou ostentoso, talvez apenas um ósculo sem culpa. Um presente divino ou apenas um abraço de consolação...
Isso não é tudo. Tudo é o que acontece neste instante em que você dorme ou dormita. Apenas você ali, e a lua lá de cima como testemunha, enquanto outros dormiam. Como se ante a mim, de tanto ansiar um ensejo, bebesse a água de uma fonte sagrada, eu pequei de novo. Beijei-te sem tempo de se arrepender. Imaginando em como pode se passar tanta coisa em um instante na mente...
Diante dos seus olhos, na sua presença, busquei na mente, pois existe um infinito aqui, procuro um motivo do seu perdão. Sabe que nada dura para sempre, nem mesmo o ódio.  Nem mesmo a vida, nem um beijo. O desejo da carne não dura para sempre. Apenas ávida a essência do carinho, a ternura da pele, o sentido dos olhos, dura para sempre, e sempre na alma existirá o sentido do perdão. Sempre na carne viva a cicatriz, encontrará o osso do perdão, por um triz.

Metáfora de Autor desconhecido- O Furo no Barco

http://somostodosum.ig.com.br/cartao/img/c4r20060m2458.jpg 
Um homem foi chamado à praia para pintar um barco. Trouxe com ele tinta e pincéis, e começou a pintar o barco de um vermelho brilhante, como fora contratado para fazer. Enquanto pintava, viu que a tinta estava passando pelo fundo do barco. Percebeu que havia um vazamento e decidiu consertá-lo. Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e se foi.

No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com um belo cheque. O pintor ficou surpreso:

O senhor já me pagou pela pintura do barco! – disse ele.

- Mas isto não é pelo trabalho de pintura. É por ter consertado o vazamento do barco.

- Ah!,  mas foi um serviço tão pequeno... Certamente, não está me pagando uma quantia tão alta por algo tão insignificante!

- Meu caro amigo, você não compreende. Deixe-me contar-lhe o que aconteceu. Quando pedi a você que pintasse o barco, esqueci de mencionar o vazamento. Quando o barco secou, meus filhos pegaram e saíram para uma pescaria. Eu não estava em casa naquele momento. Quando voltei e notei que haviam saído com o barco, fiquei desesperado, pois lembrei-me que o barco tinha um furo. Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando sãos e salvos. Então, examinei o barco e constatei que você o havia consertado! Percebe, agora, o que fez? Salvou a vida dos meus filhos! Não tenho dinheiro suficiente para pagar sua “pequena” boa ação.

...
Não importa para quem, quando ou de que maneira: mas, ajude, ampare, enxugue as lágrimas, escute com atenção e carinho, e conserte todos os “vazamentos que perceber, pois nunca sabemos quando estão precisando de nós ou quando Deus nos reserva a agradável surpresa de ser útil e importante para alguém.

Poesia de Alan de Carvalho-Veraz e Eterno

A magnitude de todo céu acabou em mim
E o que falta da lua eu tranquei no meu coração
Para que ao menos um pedaço dela possa sentir
Esta felicidade que irradia do meu corpo

Compus nos versos meus a mais divina paixão
Que é combustível do nosso profano amor
Por que a contradição nos faz o maior sentido
A dor é sinônimo de prazer e nossa lágrima é feliz

Por que nos entregamos voluntariamente
A intensidade deste sentimento involuntário
Quando sua falta aperta meu espírito carente
Eu procuro os resquícios da sua pessoa
Nas memórias, fotografias e marcas em meu corpo
Encontro as provas de que todo este sonho aconteceu

É incrível saber que jamais irei acordar
Por que sei que em momento algum estava dormindo
E das poesias passadas, eu apenas sinto pena
Por que para elas, faltou a maior inspiração
Choram por que nelas, não há um décimo do amor
Que move meus dedos a escrever esta declaração

E por meio desta, declaro o meu mais intenso amor
A realidade, paixão, amor e devoção em palavras
Que a minha boca não cansa nunca de repetir
Para que todos saibam, e reconheçam que é verdadeiro

Dos céus até o mar, e diante de toda a terra
Desde aquela primavera, em cada estação
Até o fim dos tempos... Eu Prometo te amar,
Mais do que a tudo, mais do que a todos

Deixo para ti meus votos
Cumpro por ti meus votos
E isto, é Veraz e é Eterno
E pertence só a você.
 
Alan de carvalho:
[Foto-0177+cccopy.png] 
http://alumiina.blogspot.com/
 

Pequeno Conto de Matt Gonçalves- O Coelho Sad

O coelho Sad

Havia um coelho muito mal e seu coração era feito de algodão doce apodrecido e tinha um gosto amargo, amargo e salgado, mas adocicado e por isso ninguém chegava perto dele, pois ele era estranho e amargo. Nem mesmo os outros coelhos gostavam dele e por isso que ele era mal, e toda noite escuro ele sentava-se debaixo da cerejeira sob a luz do luar e murmurava: “Oh Deus, por que sou amargo, diferente dos outros?" e chorava lágrimas de açúcar que derretiam e banhavam seu coração de algodão-doce de um amargo adocicado, e na solitária escuridão nem mesmo ele percebia que também era doce.
MATT

Adicione-o no Orkut: you.are.suck2@hotmail.com

quarta-feira, 9 de junho de 2010

De Alison Santini-1ª Parada LGBT de Jacareí e Região “Cidade moderna é cidade sem preconceito!”

  

1ª Parada LGBT de Jacareí e Região
“Cidade moderna é cidade sem preconceito!”


Já está em fase final de preparação a 1ª Parada LGBT de Jacareí e região. É o que informa Luiz André Moresi, presidente da ONG REVIDA que organiza esse importante evento para a visibilidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.


Em reunião, os membros da ONG definiram as homenagens e os DJ’s para animarem a festa-manifestação.


No intuito de ressaltar o importante trabalho e a visibilidade que sempre deram para as pessoas LGBT, serão homenageadas nessa primeira Parada a drag queen Morgana Loren e a transexual Marilda Guedes, que receberão no trio elétrico a faixa de Rainhas do evento.


Para animar o público presente estará comandando o som no trio elétrico a DJ de São Paulo Sandra Bull e no palco o DJ de Jacareí Rockley Lelles e de SJC DJ Vinil. Também no trio teremos o show do cantor Alex Furttado, animando a concentração.


A madrinha da 1ª Parada LGBT de Jacareí será a drag paulistana Dindry Buck, artista talentosa e que se apresenta nas melhores casas noturnas LGBT. Dindry também estará presente na oficina de sexo seguro na Semana da Diversidade.


“Será uma manifestação bonita de se ver. Vai marcar a história de Jacareí que junto com a modernidade, deve crescer o respeito com a população LGBT, que também paga impostos e tem os mesmos deveres que qualquer outra pessoa. Falta ter os mesmos direitos”, enfatiza o presidente da ONG.


CONFIRA A PROGRAMAÇÃO


1ª SEMANA DA DIVERSIDADE SEXUAL:


• 14 DE JUNHO – SEGUNDA-FEIRA – 18h
Workshop “Diversidade Sexual na Escola” com Edith Modesto, mãe, professora, escritora e coordenadora do GPH, Grupo de Pais de Homossexuais, importante ONG que orienta pais que se descobrem terem filhos/as homossexuais.
• 23 DE JUNHO – QUARTA-FEIRA – 19h
CineDiversidade – Exibição do filme MILK – A VOZ DA IGUALDADE – com Sean Pean. O filme conta a história de Harvey Milk que em vida foi um pioneiro dos direitos homossexuais nos Estados Unidos. 30 anos depois de sua morte ele se tornou um mártir do movimento homossexual.
Classificação indicativa: 14 anos
Local: Sala Mário Lago – Pátio dos Trilhos
• 24 DE JUNHO – QUINTA-FEIRA – 19h
Seminário “Direitos Humanos e Cidadania LGBT: Quando” Coordenação: Luiz André Moresi (Presidente ONG REVIDA)
Participação: Anselmo Figueiredo (Executiva do Fórum Paulista LGBT e ONG CASVI), Rhayana Meirelles (Presidente ONG Orientação – SJC) e um representante da Comissão de Sexualidade e Gênero do CRP/06 (Conselho Regional de Psicologia – subsede Vale do Paraíba).
• 25 DE JUNHO – SEXTA-FEIRA – 14h
Oficina de sexo seguro e diversidade sexual com a drag Dindry Buck – Na cama com Dindry
Participação de 50 jovens – Inscrição pelo e-mail/msn ongrevida@hotmail.com  
Local: Sala Mário Lago - Pátio dos Trilhos
• 25 e 26 DE JUNHO – SEXTA-FEIRA E SÁBADO
Festas Pré Parada nas casas noturnas LGBT da região


1ª PARADA LGBT DE JACAREÍ E REGIÃO
DIA 27 DE JUNHO – DOMINGO
Concentração a partir das 14h em frente ao Parque dos Eucaliptos - Avenida 9 de Julho

Atrações:

DJ Sandra Bull (Trio) e DJ Rockley Lelles E DJ Vinil (Palco)
Show com o cantor Alex Furttado na concentração.
Show de encerramento com as drags e artistas regionais:
Morgana Loren
Marilda Guedes
Alexia Twister
Cibelle Xuxu e Arabella
Chris Summer 
Aysha Ganzarolli
Sara Fyffer
Rayara Morgan
Homenagens:
Rainha Drag Morgana Loren e Rainha Transex Marilda Guedes
Madrinha: Drag Dindry Buck

De Alison Santini-Sobre a Poesia ONG Revida


A luta pela igualdade social, pela diversidade, vem florescendo a cada dia. A cada passo dado, mais perto da vitória estamos, mesmo sabendo que essa luta nunca irá findar. Gerações novas, antigas, outra vez novas, novos costumes, novas cores, mas as cores do arco-íris, assim como o azul do céu nunca irão mudar.

Esta é a poesia que eu escrevi com honra, e pelo orgulho da luta dos direitos LGBTs, e por vestir e ser membro da ONG Reintegrando Vidas Revida. 





Eis a poesia,

18/03/2010
ONG Revida

Amar e ser amado
Crer e ser acreditado
Ensinar e aprender
Inventar e entender
Trazer de volta o sorriso
Ao encontrar a morte, revida!
Reintegrando à vida.

Orgulho à bandeira
Não importa a cor
Guerreiro por guerreiro, por amor.

Resistir e lutar
Esperança suscitar
Viver é uma arte!
Insistir na verdade, e ter,
Direito à diversidade
A cidadania defender.

Reconstruindo sonhos
Essência de existir
Sabedoria de escolher
Peito e paz para lutar
Elevar aos céus nosso brilho
Irisando nosso sorriso
Trazendo na conquista,
Através dos direitos humanos, 
Respeito e mais amor.

Alison Santini

De Alison Santini-Sobre a Oficina de Capacitação da ONG Revida

 
Dia 20 de março a ONG Revida realizou uma
Oficina de Capacitação e Sensibilização em Direitos Humanos e DST/HIV/Aids, pelo Projeto Justiça e Direitos Humanos: Garantia de Cidadania.
A oficina aconteceu em três palestras:

1)    Base conceitual sobre Direitos Humanos – Luiz André Moresi (Presidente da ONG REVIDA).
a.    História do Movimento LGBT no Brasil

2)    Práticas de intervenção para a promoção de Direitos Humanos e Prevenção às DST/HIV/AIDS – Andreia Capucci (Assessora Jurídica do projeto Justiça e Direitos Humanos: Garantia de Cidadania).
a.    Direitos humanos em HIV/aids (direito  à intimidade, direito  ao sigilo quanto à sorologia, direitos sexuais e reprodutivos);
b.    Direito à vida e à saúde (devendo ser abordada a Lei 8080/90 e 8142/90);
c.    Estigma e preconceito e seus impactos na epidemia de HIV/aids;
d.    Vulnerabilidades em razão do HIV/aids;
e.    Direitos trabalhistas, previdenciários e assistenciais; e
f.    Direitos conquistados pelas pessoas que vivem com HIV/Aids

3)    Políticas de inclusão – Acesso universal à educação – Iara Bernardi (Representante do Ministério da Educação no Estado de São Paulo – Ex-deputada federal, autora do PLC 122/06)
a.    Acesso a educação;
b.    Programas de inclusão;
c.    Acesso a universidade;
d.    Exposição sobre o PLV 122/06, projeto que criminaliza a homofobia.




A oficina iniciou-se com a divulgação do meu livro: "Não Importa a Dor... Os Anjos Também Choram Quando Se Fala de Amor", e com a minha leitura da minha poesia dedicada a ONG, "ONG Revida". Onde Fui apresentado ao publico pelo presidente da ONG, Luiz André.

O Acontecimento foi no Real Park Hotel em Jacareí-SP, e findou com um belissimo coquetel.

terça-feira, 11 de maio de 2010

De Alison Santini-Sobre a ONG Revida



A Organização Não Governamental Reintegrando Vidas, sob a sigla REVIDA é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira, sediada no município de Jacareí - SP.

A ONG Revida Reintegrando Vidas, é uma ONG de Jacareí. Uma ONG que luta contra todo e qualquer tipo de preconceito, e trabalha na inclusão social, meio ambiente, oferece acessoria jurídica a população vulnerável e que sofrem o preconceito homofobico.



A meu ver,

 “Existem aqueles capazes de amar, assim como existem aqueles capazes matar o amor"... (Do meu livro).

Esta frase de uma poesia minha, reflete a minha crença, sobre os dias em que vivemos e que muitos viveram ao longo dos anos, na luta contra a homofobia, como contra qualquer outro modo de preconceito. Estamos na era da ascensão, onde nossa luta contra este tipo de preconceito vem ganhando cada vez mais força. Em primeiro lugar, em motivo especial e talvez único, é por isso que hoje sou membro da ONG Revida. Por merecimento e orgulho em ser o que sou, um ser capaz de amar e respeitar qualquer diferença. Infelizmente sabemos que a hipocrisia de todas as formas existe e sempre vai existir tanto no meio social que você viva, na justiça, na sociedade entre outros.

Portanto seja de onde você for, seja qual for o seu segredo, nunca deixe seu coração se corromper, muito menos os seus sonhos, não importa quem e nem onde, nunca deixe de lutar por seus sonhos, e muito menos por sua capacidade de amar.

Se quiser conhecer a ONG Revida agende uma visita conosco:


Quem for vítima de discriminação ou preconceito procure a assessoria jurídica gratuita da ONG REVIDA de Jacareí-SP - (12)3354-9800

segunda-feira, 12 de abril de 2010

De Alison Santini- A Canção da Nossa Amizade


A Canção da Nossa Amizade

Ser amigo é assim
Ser amigo é tão bom
Ser amigo é se encontrar no coração.

Se um dia eu chorei...
É você quem estava aqui
Enxugando minhas lágrimas
Me fazendo sorrir.

Se a sua voz não ouvir
Você irá me ferir
E é por isso que eu te peço amigo
Não me deixe sozinho.

Ter amigo é tão bom
É por isso que eu te fiz esta canção
Somente pra você...

Se algum dia for partir, sei lá...
A tristeza irá bater, e eu vou chorar.
Sentirei a sua falta e com certeza,
Vou lembrar de amigo verdadeiro
Que eu tive um dia pra ficar.

Alison Santini

Particicipe da comunidade dessa canção no orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93005327

sábado, 10 de abril de 2010

De Alison Santini- Sobre o Blog


Este blog foi criado, não só para divulgar meu livro, ou os meus próximos livros. E sim, para divulgar minhas poesias, pensamentos, sonetos, meus gostos, minhas criticas, filosofias, loucuras, entre muitos outros decorrentes dos meus sentimentos.
Na espera de criar este blog, encontrei pessoas maravilhosas, que sempre me dão idéias e junto comigo criam, este, que eu espero que seja meu maravilhoso portal. Minha fonte de sonhos, onde postarei meus diversos pensamentos espontâneos. Meus segredos, desconhecidos, minha raiva, o meu motivo de existir.
Voltando a falar dessas pessoas, que em primeiro lugar, o criador da arte do blog e da capa do meu primeiro livro publicado, vem a ser Alan de Carvalho, dono do blog de poesias, o: “Alumina Poesias”. O Alan vem sendo um grande amigo virtual. Alguém confiável e submisso a sua arte. Alguém que escreve e cria com paixão, a paixão necessária pela excelência da arte. Alguém que eu tenho uma terna gratidão.
As outras pessoas, que não deixam de ser menos especiais para mim, são Gilson, Léo Caputo e Nagib. Estes foram que me incentivaram a criar o blog e viram junto comigo, este sonho se realizar.  O Nagib sempre esteve no inicio de tudo, no que se diz respeito a este livro: “Não Importa a Dor... Os Anjos Também Choram Quando se Fala de Amor”, não existiu nenhuma outra testemunha ocular, deste meu sentimento. Sim! Trata-se de sentimentos, não estou criando este blog à toa, e sim, para que todos possam saber e talvez sentir, algum prazer em ler e simplesmente sentir, algo ou alguma coisa, pois trato das minhas escritas, trato esse meu blog, como algo vivo, um coração batendo e apaixonado, um pássaro ferido. Este blog, não existiria se não existisse o meu primeiro livro, e o meu primeiro livro não existiria se eu não conhecesse a pessoa que o Nagib me apresentou, em meados de fevereiro a março de 2005, onde eu me apaixonei pela primeira vez. Já o Gilson e o Léo, são amigos recentes, mas que fazem parte intensa na minha vida. Eles vivem me dando idéias e fazendo-as acontecer.
Lembrando-se que todos os conteúdos postados aqui, são registrados no Escritório de Direitos Autorais/Fundação Biblioteca Nacional, Sendo proibida a cópia e sua reprodução. Existem também outras postagens que não são conteúdos meus, mas que serão assinados com o nome do autor, e aqueles que são de autores desconhecidos.
Hoje, peço com sinceridade, leiam e sintam-se a vontade. Meu blog está alçando vôo, sejam sinceros, comentem, critiquem, e respeitem. Voltem Sempre!!!

A mera coincidência dos sonhos é,
Que eles sempre se tornam realidade”.

Alison Santini

quarta-feira, 17 de março de 2010

De Alison Santini - Anjo Perfeito [Dedicada]



Anjo Perfeito



Eis a arte e seu artista
Por sua vez
Eis o artista e sua arte
Eis o poeta
Em busca da sua inspiração
E eis a inspiração em busca do seu poeta.
Eis a tragédia em sua tez
Eis o duelo dos destinos
Dos destinos dois corações
Lançados ao vento, a sorte
Nos olhos negros do anjo perfeito!

Vês estes traços,
Que desenha os lábios
Lês os segredos dos cílios,
Sentes a proteção nos teus braços?

Sorriso, sonho terno
Desse sonho,
Que de branco não escassa
Mas traz o medo do inferno
A dor aos poucos se adelgaça
Para que o vale dos suicidas
Floresça de incertezas
Do sonho eterno.

Que poeta dentre os poetas
Tem o dom de enxergar
O ímpeto triz do teu olhar?

Tu és do puro amor,
Nenhum sonho é mais real
Nenhuma realidade é mais surreal
Nada mais causa temor
Dos ventos que não findam
Das lágrimas que faz cingir
As dores que não sabem fingir...

As cores desse portal
Desiludido do tempo
Do tempo que se perde
Na eternidade da ignorância
A fonte dos desejos
E das paixões
Derretem-se nos olhos
Para quem não sabe olhar
Apenas...



Apenas olhar
Estes olhos sonhados
Ou banhados da noite.
Apenas olhar...

Olhar
A fonte e sentir
Da fonte o gosto do beijo
Do beijo o vicio
Da paixão que virou amor
Do que virou amor
Sentir a eternidade partindo
Partindo
Num piscar de olhos...
Nos olhos do anjo perfeito.

Alison Santini


terça-feira, 16 de março de 2010

Os Sonetos de Santini-Deixa Ser 2007


Este foi o meu segundo soneto a ser premiado num concurso de Jacaréi, "2º Festival de Sonetos - Chave de Ouro" e novamente, um dos meus sonetos foi premiado.

Deixa ser

Deixa-me ir, leve, deixa-me ir, solto.
Deixa-me ficar perverso e brando...
Fixa em mim, seus, os lábios soluçando.
Fixa em mim, onde o teu é envolto...

Deixa ser eu, os dois rios revezando.
Deixa estar a minha alma chorando
Por este meu idílio que morreu de dor,
Igual o tal rouxinol morreu por amor...

Deixa ser eu, o vulto que procuras.
Deixa ser só nós dois, pra sempre, duas luas,
Bendizendo o amor no vazio do céu...

Eu sei, não há duas luas, nós não somos dois.
Seja o teu corpo sobre o meu, meu véu...
Deixa ser eu, tão amado como vós sois...
 
Alison Santini

Os Sonetos de Santini - Caduco 2006


Este foi o meu primeiro soneto, escrito para participar de um concurso aqui em Jacaréi, chamado "1º Festival de Sonetos - Chave de Ouro" e o meu soneto foi um dos escolhidos.



Caduco

Não me caduque, mais do que caduco estou.
Não me machuque, mais do que machucado sou.
Não me rasure, mais que confuso vou.
Não me pergunte, mais que explicado sou.

Não me repreenda, mais do que repreendido fui.
Não me amaldiçoe, com palavras que flui.
Não me mate com aquilo que me constitui.
Não me provoque com o que te influi.

Não me destrua, por mais que eu me restitui.
Não me influencie, por mais que eu te influi.
Não me esquece, mais do que esquecido fui.

Não me mande, mais que eu digo que vou.
Não me entristece, mais que entristecido estou.
Não me abandone, mais que abandonado sou.
Alison Santini

De Alison Santini - Anjos das Noites Sombrias

A poesia a seguir faz parte do meu livro "Não importa a dor..." foi a segunda poesia a ser publicada no jornal "O Grito" no mês de maio de 2007, gosto tanto que a inclui no livro...

Anjos das Noites Sombrias

A lua olha lá de cima
Um anjo da noite se aproxima
A próxima vitima...
Alguém que anda na solidão...
Presa fácil!
Nas praças se encontram
No pátio dos trilhos esperam...
Talvez o trem que não chega.
O trem da meia noite,
Já passou pela manhã...
Estava este atrasado.
Anjos das noites sombrias
O que esperas da vida?
A verdade ou a mentira?
Anjos calados
Noites sombrias.
Na calada da noite
Um beijo, um açoite.
Cabelos acinzentados,
Na mente, Rock n’ roll.
Um maço, dois maços, em vão,
Faz da mentira um irmão.
De que o tempo passa,
E que nascer...
É uma trapaça corroída...
O dia não mais existe
A noite não mais chega.
Quando se pensa,
Em escolher entre
Viver ou morrer...
Alison Santini

De Alison Santini - Não há Destino;

Esta foi a primeira das minhas poesias a ser publicada em um jornal...
O jornal cultural "O Grito" a publicou, em 5 de fevereiro de 2007, sendo um marco para mim...

Não há Destino

As pessoas crêem em um destino
Um destino escrito
Não há destino escrito
Mas sim percorrido.
A cena do mundo muda
Mas a vida não!
E os mesmos erros são cometidos
Há um destino percorrido pela vida
Onde somos a água de um rio a fluir
E fluímos para o mesmo mar!
A vida age, o corpo e a alma reagem.
Para cumprir seu ciclo!
Nada escrito, nada repetido.
Mas sim o obscuro e o oculto,
Faz o não vivido,
Uma base a se especular!
Onde a incerteza da vida após a morte
Deixa-nos por conta,
A tirar conclusões próprias.
Se você quer mudar o mundo
Mude a si mesmo primeiro
Mate a fome que te mata
Seja a cura daquilo que lhe corrói
E pense:
“Eu posso mudar o mundo,
Com a ajuda do mundo!
A vida não é um enigma,
Eu sou o enigma da vida”.
Alison Santini

Sobre Alison Santini - Uma auto biografia;

Olá leitores;

Chamo-me, Alison dos Santos Silva, adotado o pseudônimo de Alison Santini, assim que
sou conhecido. Nasci, em 5 de Janeiro de 1988, moro em Jacareí, estado de São Paulo. Participei por três anos de um concurso de sonetos na minha cidade que se chama: "Festival de Sonetos-Chave de Ouro", da Academia Jacarehyense de Letras. Onde Três sonetos meus foram publicados um a cada ano, sendo eles “Caduco” em 2006, “Deixa Ser” em 2007 e “Demasia”, em 2010. Foram publicadas duas poesias de minha autoria, no jornal O Grito, do município de São José dos Campos. No entanto, venho buscando publicar minhas poesias em livros, mesmo já tendo lançado o primeiro livro, tenho outros projetos já prontos, á espera de uma publicação independente, com exemplares a pronta entrega. Por isso não tenho pressa em publicar números de livros, aqui no clube, pois a graça do escritor é ter sua noite de lançamento e de autógrafos. A maior emoção é ver seus sonhos impressos, imortalizados. Em publicação, o jornal “O Grito”, abriu as portas para meus sonhos, quando pela primeira vez, publicou uma das minhas poesias em seu jornal. Em seguida, a “Academia Jacarehyense de Letras”, agraciou-me com uma de minhas poesias em livro. E em seguida o “Clube de Autores”, deu-me a oportunidade de ter meu livro lançado, sendo assim, dando asas a emoção, a poesia que corre em minhas veias, podendo assim homenagear os amores da minha vida.


Alison Santini